Joinville e Brasil geram empregos em junho, mas SC perde postos de trabalho

Com saldo positivo de 91 empregos, Joinville ficou no azul no mês de junho. Foram 6.527 admissões que superaram 6.436 demissões, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Quem também teve um resultado positivo foi o país, que abriu 9.821 novos postos. Já Santa Catarina, que tem saldo positivo no semestre, fechou junho no vermelho: 70.323 demissões contra 68.777 admissões, um saldo negativo de 1.546.

Enquanto o resultado nacional foi puxado pela Super Safra da agricultura, Joinville atribui o saldo positivo ao setor de serviços, que abriu 140 vagas. O comércio também apresentou um bom resultado, com 79 empregos. A construção civil, por sua vez, apresentou o pior resultado entre os setores da economia municipal. Demitiu 72 pessoas a mais do que contratou, seguida pela indústria de transformação, que fechou 45 postos de trabalho.

Mas se os serviços estiveram aquecidos em Joinville, o setor puxou o desemprego em Santa Catarina no mês de junho. O saldo negativo foi de 1.546 postos de trabalho, com quedas expressivas nos setores de serviços (-523), comércio (-485) e indústria da transformação (-378). Apresentaram saldo positivo apenas as áreas da administração pública (164) e agropecuária (80). No estado, o país que mais gerou empregos formais no mês foi a vizinha Jaraguá do Sul, com 195 vagas, puxadas pelo comércio.

Apesar de junho, Santa Catarina comemorou o resultado positivo no semestre. Foram registradas 21.183 novas vagas com carteira assinada. O setor com melhor resultado foi o da indústria de transformação (saldo de 20.470 vagas no semestre), seguido pelo segmento de serviços (4.350 vagas).

O Brasil, por sua vez, teve o resultado positivo puxado pela agricultura. A previsão é de uma safra recorde em 2017, fator responsável pela queda na inflação e por alguma estabilidade do desemprego. O mercado de trabalho brasileiro abriu 9.821 novos postos em junho. No total, foram 1.181.930 admissões e 1.172.109 demissões.

O setor agropecuário abriu 36.827 vagas no mês. Além dela, apenas a administração pública abriu vagas: 704. Todas as outras áreas tiveram resultados ruins: construção civil (-8.963), indústria de transformação (-7.887), serviços (-7.273), comércio (-2.747).

No acumulado do ano, o saldo positivo brasileiro foi de 67.358 vagas de emprego abertas.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Jaqueline Noceti/Secom SC
Informações: Caged e Secom SC

Um comentário em “Joinville e Brasil geram empregos em junho, mas SC perde postos de trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *