Deputados estaduais aprovam 20 projetos na quarta, incluindo a LDO para 2018

Vinte matérias foram aprovadas pelos deputados na sessão desta quarta-feira (12) da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, a penúltima antes do recesso parlamentar de julho. Destaque para o projeto que estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2018, matérias do Poder Executivo que tratam de redução de gastos públicos e propostas relacionadas ao Poder Judiciário e à Defensoria Pública Estadual (DPE).

Por unanimidade, o PL 103/2017, que trata da LDO 2018, foi aprovado sem questionamentos dos deputados. A proposta recebeu cinco emendas na Comissão de Finanças e Tributação, todas de autoria da bancada do PT, que foram acatadas pelo relator, o deputado Marcos Vieira (PSDB).

“As emendas da bancada do PT foram aprovadas com o intuito de fazer a adequação do Plano Plurianual (PPA) e da Lei Orçamentária Anual (LOA) com a LDO”, explicou Vieira. São emendas que incluem ações já previstas nas outras peças orçamentárias, mas que não constavam na LDO, conforme o deputado.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias é uma espécie de esboço do que será o orçamento do governo estadual para o ano que vem. Nele constam as ações que o governo pretende desenvolver no ano seguinte, desde as obras previstas até os gastos necessários para a manutenção da administração, como saúde, educação, segurança etc. Para 2018, o Estado trabalha com um orçamento total estimado em R$ 26,3 bilhões.

A proposta passará pela votação da redação final na sessão desta quinta-feira (13) e depois segue para sanção do governador Raimundo Colombo (PSD).

Ainda na sessão desta quarta, os parlamentares aprovaram dois projetos relacionados ao judiciário, um de origem da Defensoria Pública Estadual (DPE) e outro do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). O PL 25/2017, de autoria da Defensoria Pública, foi aprovado com o texto original, também com relatório de Marcos Vieira.

O projeto prevê reajuste salarial de 115% aos defensores públicos, como forma de equiparar o salário desses profissionais ao que é praticado em outras regiões do país. O índice será aplicado de forma gradual, até 2019.

Já o Projeto de Lei Complementar (PLC) 9/2017, encaminhado pelo Poder Judiciário estadual, trata da habilitação profissional dos ocupantes de cargos de analista administrativo. As duas matérias terão a votação da redação final na sessão desta quinta e seguem para sanção do Executivo.

Edição: Felipe Silveira
Foto: Miriam Zomer/Agência AL
Informações: Agência AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *