Saúde estadual deve mais de R$ 700 milhões

As dívidas da Secretaria de Estado da Saúde (SES) de Santa Catarina ultrapassam R$ 700 milhões. A informação foi dada pelo secretário da pasta, Vicente Caropreso, em audiência pública da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa realizada na quarta-feira (5). O objetivo do evento era justamente a prestação de contas da secretaria do primeiro quadrimestre de 2017.

O secretário comentou o atraso de pagamentos a fornecedores, entre outros problemas. De acordo com Caropreso, o bloqueio de recursos da Secretaria de Saúde em função de decisões judiciais tem causado um transtorno muito grande à administração. Em 2016, mais de R$ 39 milhões em recursos da pasta foram retidos para cumprimento de decisões judiciais. Em 2017, o bloqueio já chega a R$ 16 milhões. “O orçamento da saúde agora é uma interrogação, ele não tem como ser estimado”, disse. Por dia, entram 60 novas ações judiciais contra a pasta.

O presidente da comissão, deputado Neodi Saretta (PT), analisou que “à medida que o atendimento falha, quando, por exemplo, não há medicamentos da lista do Sistema Único de Saúde (SUS) disponíveis, há aumento da demanda judicial à secretaria”. Ele sugeriu que parte do saldo de R$ 1,5 bilhão contraído em empréstimo pelo governo do Estado (Fundam 2) seja aplicado na saúde.

Caropreso disse que R$ 165 milhões são dívidas com prestadores de serviço somente deste ano. Com R$ 200 milhões, Caropreso estimou que poderia saldar os principais compromissos, por exemplo, com a rede hospitalar filantrópica e para pagamento às prefeituras do valor correspondente ao cofinanciamento de ações. Ele espera que, até setembro, a pasta receba algum recurso novo do Estado para dar fôlego ao pagamento de dívidas.

“Temos também que melhorar a eficiência da secretaria e das unidades de saúde. Aperfeiçoar o sistema vai gerar economia”, reconheceu.

O secretário também comentou a incorporação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) aos Bombeiros Militares. “A gerência do Samu foi assumida pelo tenente coronel João Batista Cordeiro, uma pessoa que vive o dia a dia dessa atividade e terá condições de agregar forças para melhorar o sistema”, disse.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Vitor Shimomura/Agência AL
Informações: Agência AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *