JEC perde para Avaí na Arena e é eliminado da Copa SC Sub-20

Não deu para o Joinville chegar à final da Copa Santa Catarina. Jogando na Arena, na tarde desta quarta-feira (28), a garotada do Morro do Meio tinha a vantagem de jogar pelo empate, mas acabou derrotada pelo Avaí por 1 a 0. O gol avaiano foi marcado por Yuri, aos 35 minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o Avaí enfrenta o Criciúma na final da Copa Santa Catarina Sub-20. O regulamento do torneio prevê decisão em jogo único, que está marcado para sábado (1), às 15h30, em Tubarão.

O primeiro tempo foi de pouca emoção para o torcedor que foi à Arena. Errando muitos passes, o Tricolor não conseguiu dominar o rival. Inscrito no time profissional, o atacante Marlyson esteve isolado na frente e, quando participou das jogadas, errou muitos passes. A melhor chance do JEC saiu dos pés de Janderson. O camisa 10 chutou de fora da área, passando a poucos centímetros da trave esquerda do goleiro visitante.

No intervalo, o técnico Julian Tobar colocou Kaue no lugar de João Pedro. Diferente do primeiro tempo, o confronto foi mais movimentado na etapa complementar. Aos 11 minutos, Janderson tocou para Jean, que, sem marcação e dentro da área, finalizou em cima do goleiro.

Saem o atacante Jean e volante Willian para as entradas dos volantes Renan Torquato e Thierry. Com as alterações, Julian deu mais liberdade ao camisa 10 Janderson, o destaque do time. Aos 29 minutos, Janderson fez boa jogada e passou para Thierry, que chutou com perigo à meta avaiana.

O gol da classificação dos visitantes saiu aos 35 minutos, com Yuri. Ele invadiu a área e tocou na saída do goleiro Ferreira. Aos 41 minutos, Marlyson teve a melhor chance para chegar ao empate. Após cruzamento da direita, o atacante não conseguiu alcançar a bola.

“Bastante chateado porque os nossos meninos deram o máximo deles”, lamentou o técnico Julian Tobar, destacando as boas partidas que a equipe fez contra o Avaí, especialmente no setor defensivo. O treinador garantiu que o time não jogou com o “regulamento debaixo do braço”. Para ele, o JEC jogou dentro das suas características de marcação forte, mas criou muitas oportunidades e não conseguiu marcar o gol

Texto: Yan Pedro Kuhnen
Foto: Kaue Natan Vezentainer/JEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *