Prefeitura oferece reajuste de acordo com a inflação ao final do primeiro dia de greve

Depois de seis reuniões para discutir o reajuste salarial e um primeiro dia de greve, a prefeitura de Joinville decidiu oferecer a reposição completa da inflação. A proposta, 4% parcelado em 4 vezes, foi feita em uma reunião no final da tarde de segunda-feira (12), o primeiro dia da greve. Durante a manhã, no primeiro encontro entre o prefeito Udo Döhler e a direção do Sindicato dos Servidores Públicos (Sinsej), o Executivo já havia oferecido 3%. Antes da greve, a oferta era de 2%.

A inflação entre a data-base (maio) do ano passado e este foi de 3,99%, medida pelo INPC. Além da reposição, os servidores querem 5% de aumento salarial. A prefeitura diz que não há dinheiro para isso e aponta para a crise econômica nacional. O reajuste, caso aceito, será dividido em quatro parcelas, nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro.

Durante a reunião, outros pontos da pauta de reivindicações dos servidores foram discutidos. Udo Döhler cedeu na questão do Vale Alimentação, que será reajustado de acordo com a inflação. O prefeito também se comprometeu em regulamentar a hora-termo do magistério e estender a Gratificação de Alta Complexidade a alguns técnicos de radioterapia do Hospital Municipal São José. Em relação aos dias parados, o prefeito oferece o abono da paralisação da última semana, que ocorreu em 7 de junho, desta segunda-feira e do período da manhã de terça-feira (13).

Para o presidente da Sinsej, Ulrich Beathalter, a proposta está longe de ser boa. Uma nova assembleia dos servidores, para avaliar a proposta, está marcada para terça, às 9 horas, em frente à Prefeitura.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Francine Hellmann
Informações: Sinsej | Secom Joinville

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *