Em jogo com sete gols, América vence a Tupy por 4 a 3

Na fria tarde do último sábado (10), enquanto os torcedores do JEC colavam o ouvido no rádio para acompanhar o jogo do Tricolor contra a Tombense, em Minas, por aqui a bola rolava para um clássico do futebol amador. Sem glamour e com as regras de etiqueta mandadas às favas, América e Tupy fizeram um jogo de sete gols e vencido por 4 a 3 pelo Galo da Zona Norte, que jogava em casa.

Rente ao gramado, o pessoal que arrastou mesas e cadeiras para ver o jogo mais de perto viu a partida começar amarrada, pesada e jogada mais no meio do campo. Entre um copo e outro, eles viam as duas equipes tentando chegar ao primeiro gol. O nível técnico subiu aos 27 minutos, quando uma boa troca de passes deixou Carlos Henrique em boas condições para abrir o placar para a Tupy. Mas o time do Boa Vista não teve muito tempo para comemorar. Logo depois, aos 28, Lucas Eduardo aproveitou cobrança de falta e empatou a partida para o América, fechando o placar da primeira etapa.

No intervalo, enquanto a torcida colocava o papo em dia, o delegado da partida, que também acumula a função de quarto árbitro, solitário na beira do gramado, ia de um lado para o outro, levando uns papéis, preenchendo outros e dando atenção a quem puxava papo pelo alambrado.

Na volta para o segundo tempo, a primeira reviravolta do jogo veio aos 9 minutos, quando Alcenir aproveitou o escanteio e escorou de cabeça para virar para o América. O time da casa ainda buscava o terceiro, mas Jorge Luis partiu com liberdade para empatar a partida para a Tupy, aos 20 minutos. No meio dos gols, quando um jogador da Tupy precisou sair do campo para atendimento, em vez do gandula, sumiu o maqueiro. Para quebrar o galho, o massagista correu para ajudar a carregar a maca.

Pressionado pela torcida que soltava a corneta na arquibancada, o América voltou à frente do placar aos 25 minutos. Lima aproveitou uma falha da Tupy, roubou a bola e apenas tocou no canto direito. Mas a Tupy voltou a reagir aos 32, depois que o árbitro marcou um pênalti, que foi convertido por Anderson.

Quando a partida se encaminhava para aquele típico empate dos clássicos, mais um pênalti, aos 49 minutos, mudou tudo. O árbitro viu um toque em Lima e anotou a infração, que levou os jogadores da Tupy ao desespero. Mesmo com as reclamações do adversário, o próprio atacante bateu e fechou o placar em 4 a 3. Indignados, os atletas do time do Boa Vista ensaiaram uma confusão e chegaram a aplaudir o árbitro. A coisa não piorou porque a turma do deixa disso apaziguou a situação.

Resultados do fim de semana

Primeirona – 2ª Rodada

América 4 x 3 Tupy
Morro do Amaral 2 x 2 7 de Setembro
Garuva 1 x 3 Aviação
Juventude 0 x 2 Juventus
Operário 0 x 1 Pirabeiraba

Segundona – 3ª Rodada

ADR Fátima 2 x 4 União Timbé
Corinthians 3 x 2 Volta Redonda
Ponte Preta 1 x 1 Escola do Badu
Estacaville 2 x 2 Itinga
Atlanta 0 x 2 Santos Dumont

Terceirona – 2ª Rodada

Arsenal 2 x 1 Atlético Joinvilense
Estrela do Sul 1 x 1 Armênio
Tamandaré 0 x 4 Paraíba
Palmeirinha 1 x 2 Fluminense
Spartk 2 x 2 Estrada da Ilha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *