Servidores rejeitam proposta de Udo e paralisam na quarta-feira

Em assembleia na Câmara de Vereadores, na noite de quinta-feira (1), os servidores de Joinville decidiram paralisar os trabalhos na próxima quarta-feira (7). O sindicato marcou a concentração para as 9 horas, na frente da prefeitura. A decisão foi tomada após seis encontros entre a direção do Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville (Sinsej) e o alto escalão do poder Executivo.

Os trabalhadores rejeitaram a proposta de reajustar os salários em 1% em setembro e 1% em novembro, de forma não cumulativa e não retroativa à data-base. “Isto não é uma proposta”, disse o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter. “Está na hora de deflagrarmos greve”, afirmou.

O índice oficial da inflação, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de maio, é de 3,99%, um dos menores percentuais da última década. Os servidores também apresentaram uma pauta de reivindicações com 11 itens econômicos, 22 sociais e seis acordos de campanhas salariais ainda não cumpridos. De acordo com a nota do sindicato, muitas destas demandas não geram custo à administração. “Nem mesmo o reajuste do vale-alimentação pela inflação na data-base, que já é previsto em lei no município, foi aplicado até o momento”, aponta a nota.

De acordo com Beathalter, se a coisa continuar nesse ritmo, o próximo passo da prefeitura é retirar direitos. “Se nós abaixarmos a cabeça agora, não estaremos apenas aceitando esta miséria que Udo está oferecendo, mas autorizando que ele vá muito além e corte o pouco que ainda temos”.

Edição: Felipe Silveira
Foto: Sinsej
Informações: Sinsej

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *