Liberação de R$ 30 bilhões para Plano Safra beneficia Santa Catarina

Com 87% dos estabelecimentos na categoria agricultura familiar, Santa Catarina pode se beneficiar das medidas anunciadas pelo Governo Federal nesta quarta-feira (31). O Plano Safra da Agricultura Familiar 2017-2020 prevê a liberação de R$ 30 bilhões em créditos para produtores que possuem Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Apoio a Agricultura Familiar (Pronaf).

Segundo o secretário estadual adjunto da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, Santa Catarina é o estado que mais utiliza, proporcionalmente, os recursos do Pronaf no país.

O Governo Federal manteve a taxa de juros que varia entre 2,5% e 5,5% ao ano. A menor taxa será destinada aos produtores de arroz, feijão, mandioca, leite, alho, tomate, cebola, batata, abacaxi, banana, açaí, laranja, hortaliças, além daqueles que se dedicam à produção de alimentos orgânicos. Os agricultores familiares que utilizam energia renovável e práticas sustentáveis de manejo do solo e da água também se beneficiarão dos juros de 2,5% ao ano.

“Nós esperávamos uma redução na taxa de juros por causa da queda da inflação e da taxa Selic, mas mesmo assim as condições continuam atrativas para que os agricultores familiares continuem investindo”, destacou Spies.

Seguro Agrícola

O Seguro Agrícola passou por algumas mudanças no novo Plano Safra. A partir deste ano, a cobertura de renda líquida será de R$ 40 mil para lavouras permanentes e hortaliças e de R$ 22 mil para as demais, com proteção de 80% da renda bruta esperada. Ao todo, o Governo Federal disponibilizou R$ 10 bilhões para o Seguro na safra 2017/18, que deverá ser utilizado para garantir uma renda mínima aos agricultores familiares que perderem suas colheitas.

Plano Nacional de Crédito Fundiário (PNCF)

O novo PNCF, que ajuda trabalhadores rurais sem terra ou com pouca terra a financiar um imóvel rural, teve aumento no valor do teto do financiamento e no prazo para pagamento. Os financiamentos poderão ser de até R$ 140 mil, com 25 anos de prazo e 36 meses de carência.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Cidasc
Informações: Secom/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *