Sem avanços com Udo, sindicato convoca assembleia e sinaliza greve

A quinta reunião de negociação salarial entre Prefeitura e Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville (Sinsej) ocorreu na manhã de terça-feira (23) e não houve registros de avanços entre as partes. Por isso, a direção do Sinsej convocou os servidores para uma assembleia geral no dia 1o de junho, na Câmara de Vereadores.

Os servidores querem 5% de aumento real, mais a reposição da inflação acumulada no último ano com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de maio, que fechou em 3,99%, em parcela única. O prefeito Udo Döhler ofereceu apenas 50% da reposição com base no INPC e nenhum aumento.

O sindicato argumenta que a maioria das categorias que tem a data base em maio já avançaram nas negociações, os servidores de Joinville continuam sem respostas concretas. Para o presidente da entidade, Ulrich Beathalter, o próximo caminho é a greve.

“Foram cinco rodadas de negociação até o momento, sem avanço concreto para nossas reivindicações. Não há alternativa para os servidores a não ser se prepararem para a greve”, afirmou.

Uma nova audiência de negociação deve acontecer entre o Sinsej e prefeitura vai ocorrer na próxima semana, antes da assembleia.

Abono do dia 28

A Prefeitura abonou as horas para os servidores que participaram da Greve Geral do dia 28, quando houve uma paralisação em todo o país contra as reformas Trabalhista e Previdenciária.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Última assembleia dos servidores, no dia 28 de abril/Sinsej
Informações: Sinsej

ANUNCIANTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *