SC é o único estado do Sul que não gerou empregos em março

Agricultura foi o setor que apresentou maior queda no número de empregos formais.

Apenas cinco estados brasileiros geraram mais empregos formais do que perderam no mês de março. Entre eles, Rio Grande do Sul e Paraná. Santa Catarina perdeu 4.638 postos de trabalho. Foram 83.737 admitidos e 88.375 demissões no estado. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Os outros estados que tiveram saldo positivo foram Goias, Mato Grosso do Sul e Tocantins. A retração em todo o país foi menor do que o mês anterior. Enquanto fevereiro teve um saldo negativo de 118.776 empregos, março registrou 63.624 a menos.

No Brasil, o comércio foi o setor que mais apresentou retração, com -33.909 postos, seguido do setor de Serviços (-17.086 postos), Construção Civil (-9.059 postos), Indústria de Transformação (-3.499 postos) e Agricultura (-3.471 postos).

Saldo positivo no trimestre

Apesar da queda em março, o saldo da geração de empregos em Santa Catarina é positivo no primeiro trimestre de 2017. Entre janeiro e março, o saldo foi de 21.504 vagas geradas. Em janeiro, foram criadas 11.284 novos postos de trabalho. No mês seguinte o estado teve o segundo maior saldo do país, com o registro de 14.858 novas vagas no mês.

O resultado negativo foi puxado pelo setor agropecuário, que registrou saldo negativo de 3.587 postos de trabalho no mês, seguido do setor de serviços, com 1.521 vagas a menos. O melhor resultado setorial veio da indústria da transformação, com saldo positivo de 1.352 postos de trabalho.

Joinville foi a cidade que mais gerou empregos, com 633 vagas a mais, seguida de São Bento do Sul, com 318, e Criciúma, com saldo positivo de 305 empregos.

Texto: Felipe Silveira
Foto: James Tavares/Secom/SC
Informações: Ministério do Trabalho | Secom/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *