Entidades joinvilenses reunem mantimentos para ocupação do MST em Garuva

Sindicatos, movimentos sociais, estudantis e um partido político estão reunindo doações para levar ao Acampamento Egídio Brunetto, que é como foi chamada a ocupação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em Garuva. Comida e itens de higiene e limpeza são algumas das necessidades das famílias que ocupam a área.

As doações estão sendo reunidas em um apartamento no centro de Joinville, com horário de entrega marcado entre 11 e 12 horas, em dias de semana. É possível combinar outros horários e locais de entrega com militantes que apoiam a ocupação. O material recebido será levado durante visitas dos movimentos ao acampamento.

Para Sandovan Vivan Eichenberger, militante do PSOL Joinville, as doações, além da ajuda pontual àqueles que precisam, são importantes como forma de apoiar a reforma agrária no país. “Todo movimento que vá no sentido da busca da dignidade e da diminuição da justiça e desigualdade deve ser abraçado com todo entusiasmo e energia possível, e o acampamento Egídio Brunetto em Garuva é exatamente isso”, diz ele.

“Além do inacreditável fato do Brasil nunca ter feito uma Reforma Agrária – e a ocupação vem no sentido de, através da força de organização popular, isso vir se corrigindo –, a luta também é contra o corte dos direitos trabalhistas que dá o mínimo de seguridade social que o povo trabalhador pobre deste país tem, também se torna flagrante que mais do que nunca é preciso lutar, resistir e sermos solidários nesses tempos difíceis que vivemos. Por isso aquelas e aqueles que puderem ajudar com doações de roupas, comida e produtos de higiene não só contribuem para ajudar essas famílias como com a Reforma Agrária no Brasil”, explica Sandovan.

As entidades que apoiam o movimento: PSOL Joinville, Movimento Permacultura, Movimento Passe Livre (MPL) de Joinville, Centro Acadêmico de Pedagogia (CAP) da Univille, Centro Acadêmico de História (Calhev) da Univille, SindSaúde, membros do PT e membros do Sindicato dos Metalúrgicos. Caso alguma entidades não tenha sido citada, O Mirante pede que seja informado pelos comentários para acrescentar a informação.

O ocupação de uma fazenda em Garuva ocorreu no dia 10 de abril, realizada por famílias pobres da região norte do estado, especialmente de Joinville, Jaraguá e Araquari, sob coordenação do MST. Mais de cem famílias estão acampadas na área.

Itens de primeira necessidade das famílias acampadas:

Arroz
Feijão
Sal
Café
Macarrão
Açúcar
Papel higiênico
Absorventes íntimos
Margarina
Azeite
Farinha
Panos de louça

Toda doação, porém, será bem vinda.

Contatos para combinar a entrega de doações e tirar dúvidas:

Eduardo Rodrigues: (47) 99215-4010
Sandovan Vivan Eichenberger: (47) 98805-6948 ou pelo bate-papo do Facebook, preferencialmente.

Os alimentos também podem ser entregues no DCE da Univille. O contato pode ser feito com Sabrina Lutke, representante do Centro Acadêmico de Pedagogia (CAP).

Texto: Felipe Silveira
Foto: Hernandez Vivan Eichenberger

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *