FMI sugere recuperação econômica condicionada a reformas

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou, nesta terça-feira (18), o relatório Perspectivas Econômicas Globais, no qual sugere que o Brasil vai se recuperar economicamente, desde que faça reformas econômicas no país.

De acordo com o documento, o país sairá da recessão se crescer 0,2%. O desempenho do Brasil nos primeiros meses do ano surpreendeu a entidade, que esperava um ritmo mais lento para a economia nacional. O FMI ainda prevê que a inflação fique em 4,4% em 2017 e 4,3% em 2018. Já o índice de desemprego subirá para 12,1% em 2017 e cairá para 11,6% em 2018.

“Prevê-se que o crescimento se recupere gradualmente e se mantenha moderado. Com esse pano de fundo, as perspectivas macroeconômicas do Brasil estão submetidas à implementação de ambiciosas reformas estruturais de caráter econômico e fiscal”, diz o relatório.

O FMI é uma instituição predominantemente liberal, que impõe medidas liberalizantes para os países aos quais faz empréstimos. As análises econômicas também são feitas sob a ótica liberal. Assim, o recente relatório serve como um apoio para o Governo Federal aprovar as reformas trabalhista e da previdência, que contam com forte resistência popular.

Nesta terça, o governo sofreu uma derrota ao tentar votar a aceleração da tramitação da reforma trabalhista. Apenas 230 deputados votaram a favor do regime de urgência, sendo que eram necessários 257 votos. Durante a tarde, manifestantes, na maior parte ligados às forças policiais, quebraram vidraças do Congresso, pressionando os parlamentares.

Uma paralisação nacional está marcada para o dia 28 de abril, chamada por sindicatos e movimentos populares.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Agência Brasil (Imagem meramente ilustrativa. Mostra a diretora do FMI, Christine Lagarde, em visita ao Brasil, em 2015.)

Informações: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *